segunda-feira, 4 de junho de 2007

Saudosa Maloca

Acredito que a maioria dos brasileiros já dançaram ou ouviram "Saudosa maloca"...mas o samba, que tem ritmo alegre, antagonicamente, dirige uma dura crítica social.
Evidencia problemas como o capitalismo selvagem, o início da desordem social, ou seja, a falta de perspectiva e miséria que uma parte da população "aprendeu" a conviver.
E agora note na letra:

- Por quê o português é falado errado?
- Por quê "saudosa" é uma maloca?



Saudosa Maloca

Adoniran Barbosa

Composição: Indisponível

Si o senhor não istá lembrado
Dá licença de contá
Que aqui onde agora está
Esse edifício arto
Era uma casa véia
Um palacete abandonado
Foi aqui seu moço
Que eu, Mato Grosso e o Joca
Construimos nossa maloca
Mais, um dia
nem quero me lembrá
Veio os home c'as ferramentas
O dono mandô derrubá
Peguemo tudo a nossas coisa
E fumo pro meio da rua
Preciá a demolição
Que tristeza que eu sentia
Cada táuba que caía
Duia no coração
Mato Grosso quis gritá
Mas em cima eu falei:
Os homi istá co'a razão
Nós arranja outro lugá
Só se conformemos quando o Joca falou:
"Deus dá o frio conforme o cobertô"
E hoje nóis pega a páia nas grama do jardim
E prá esquecê nóis cantemos assim:
Saudosa maloca, maloca querida,
Que dim donde nóis passemos dias feliz de nossa vida

3 comentários:

felicio disse...

"Os homi istá co'a razão
Nós arranja outro lugá
Só se conformemos quando o Joca" falou:
"Deus dá o frio conforme o cobertô"
aí um tanto da situação: se ficarmos achando que há sempre uns homens com razão, só nos restará rezar a um Deus que não nos ouvirá!
é preciso trabalho!

Márcio José disse...

Oi Célia, aceitando o convite. E para começar... falar um pouco do Adoniran. Foi com ele que conclui minha graduação, minha monografia foi " Conformismo e Resistência na Obra de João Rubinato". Analisando as letras do Adoniran e comparando com as informações do livro quase-homônimo da Mariale Chauí, "Conformismo e Resistência na Cultura Brasileira". É através da transcrição do falar "paulistanês" da época, que ele tornou-se um dos grandes retratistas desse periódo, tanto na música, como no teatro e no rádio, e no cinema também.

Marcos disse...

Oi!! tudo bem?
nossa esta musica
mostra uma realidade
brasileira onde muitos
tem pouco e poucos tem
muito.
Tenha um bom final de semana
Monize 1A Dilecta