terça-feira, 25 de setembro de 2007

Vc se sente um deus?

Voce se sente um deus?

Álvaro de Campos
Poema em Linha Reta
Nunca conheci quem tivesse levado porrada.
Todos os meus conhecidos têm sido campeões em tudo.

E eu, tantas vezes reles, tantas vezes porco, tantas vezes vil,
Eu tantas vezes irrespondivelmente parasita,
Indesculpavelmente sujo.
Eu, que tantas vezes não tenho tido paciência para tomar banho,
Eu, que tantas vezes tenho sido ridículo, absurdo,
Que tenho enrolado os pés publicamente nos tapetes das etiquetas,
Que tenho sido grotesco, mesquinho, submisso e arrogante,
Que tenho sofrido enxovalhos e calado,
Que quando não tenho calado, tenho sido mais ridículo ainda;
Eu, que tenho sido cômico às criadas de hotel,
Eu, que tenho sentido o piscar de olhos dos moços de fretes,
Eu, que tenho feito vergonhas financeiras, pedido emprestado sem pagar,
Eu, que, quando a hora do soco surgiu, me tenho agachado
Para fora da possibilidade do soco;
Eu, que tenho sofrido a angústia das pequenas coisas ridículas,
Eu verifico que não tenho par nisto tudo neste mundo.

Toda a gente que eu conheço e que fala comigo
Nunca teve um ato ridículo, nunca sofreu enxovalho,
Nunca foi senão príncipe - todos eles príncipes - na vida...

Quem me dera ouvir de alguém a voz humana
Que confessasse não um pecado, mas uma infâmia;
Que contasse, não uma violência, mas uma cobardia!
Não, são todos o Ideal, se os oiço e me falam.
Quem há neste largo mundo que me confesse que uma vez foi vil?
Ó principes, meus irmãos,

Arre, estou farto de semideuses!
Onde é que há gente no mundo?

Então sou só eu que é vil e errôneo nesta terra?

Poderão as mulheres não os terem amado,
Podem ter sido traídos - mas ridículos nunca!
E eu, que tenho sido ridículo sem ter sido traído,
Como posso eu falar com os meus superiores sem titubear?
Eu, que venho sido vil, literalmente vil,
Vil no sentido mesquinho e infame da vileza.


Fernando Pessoa

quarta-feira, 12 de setembro de 2007

Youtube

Pessoal..dêem uma passada no Youtube tb, onde constam alguns vídeos das aulas em Filô:

http://br.youtube.com/profile?user=profcelia

segunda-feira, 10 de setembro de 2007

Busca pelo silêncio da Alma

Vc sabia que existia muita semelhança entre o pensamento Ocidental e Oriental na Antiguidade, especialmente na Grécia?

Em diversos períodos da história até os dias atuais....interessante perceber que depois que o Ser Humano se envolve sistematicamente com a ciência, ele tenta regressar para o simples e antagônico "Eu" ....
Interessante como a busca pelos novos continentes ou pelos mistérios do Universo param...quando o "Eu" desperta.
E logicamente existirão uma diversidade de caminhos à serem seguidos...

Considerações:
Período conhecido na Filosofia como "Helenístico" onde há o governo de Alexandre da Macedônia que incorpora a Grécia.
A preocupação filosófica, pós Aristóteles, é a busca pela felicidade, a busca do Eu.
Podemos destacar três correntes de pensadores:
- Pirro (360/272 aC): Fundador do Ceticismo
O que seria?
Em grego arcaico, "cético" pode significar "meditação", ou alguém preocupada com si mesma e assim, ausente do mundo. Atualmente o sentido de "cético", é alguem "descrente" de tudo...
Para atingir a Felicidade é preciso estar indiferente aos costumes e crenças mundanas...O homem feliz é aquele que consegue estar em "Ataraxia" ou seja estado de impertubabilidade da alma.
Interessante ressaltar que Pirro se baseia também nos ideais brâmanes da Índia.
Zenão (320-250 aC):
Fundador do Estoicismo:
Escola que tem esse nome por estar localizada próxima aos pórticos ("Stoa" em grego).
O Estoicismo acreditava que a Felicidade era um estado de tranquilidade plena, que só poderia ser atingido por meio de prática virtuosa. já a "virtude" deve ser compreendida como a indiferença às experiências da vida..
Portanto, o homem não deveria preocupar-se com questões como a morte, a fome ou a propriedade. Deveria sim cultivar o único valor real e verdadeiro, a Sabedoria.
Deve haver uma indiferença tanto ao prazer como ao sofrimento....evitar paixões assim como os vícios...fonte de todo o mal.
Foi uma das escolas de maior duração durou até o sec II da Era Cristã.
Epicuro (341-270), fundou o Epicurismo:
Herdou a idéia de Demócrito que diz que a Alma é composta de partículas imateriais, muito leves, ou seja, "Átomo"..
Para ele, não existia vida pós-morte..e o homem deveria perder o medo da morte e de outros fenômenos que não podia explicar...
Mas ele acreditava em divindades..Acreditava na existência de diversos mundos e em seus espaços, porém, não havia influência de deuses na vida humana...
A finalidade da vida na terra é o Prazer, mas não aquele que vem de instintos animais mas aquele que vem do Equilíbrio, da Razão....
A Felicidade é a Paz Espiritual...
fonte: Chalita, Gabriel, Vivendo a Filosofia. Atual Editora.

terça-feira, 4 de setembro de 2007