sábado, 24 de novembro de 2007

A divisão social do trabalho e o crime

Segundo Platão em sua Sofocracia, ou governo dos sábios, o que naturalmente irá distinguir os homens é a Educação de origem.
Em sua teoria, tudo é relativamente simples. Ele divide o progresso intelectual humano nas almas de ouro, prata e bronze.
A divisão é da seguinte forma: Os pais não devem aplicar a educação formal aos filhos pois estão envoltos à paixões. Assim, crianças a partir de 5 anos devem ir para unidades que sejam imparciais na educação.
Nessa escola...de início toda a chance ao intelecto será dado à todos, porém naturalmente existirá uma seleção pois nem todos mostrarão aptidão ao conhecimento. Esses, poderão ficar então com os trabalhos braçais como agricultura e outras fontes de sustento da Pólis.
O processo seletivo dentro da unidade deverá continuar e um novo grupo não conseguirá alcançar o estágio final, que é aquém do conhecimento é o da Crítica sobre o conhecimento, e o da sabedoria. Entretanto, esse grupo se diferirá do primeiro, pois já tem uma gama de conhecimento intelectual. Assim, esses serão os soldados da Pólis, com relativo conhecimento mas ainda sem o poder intelectual crítico necessário para o governo da Pólis.
Somente o grupo restante nesse processo educativo, terá condições de governar e se manter na elite...assim, o governo Aristocrático, ou o governo de poucos...q é diferente da Tirania ou da Democracia...
Agora vamos falar do Brasil de agora:
Perceba a divisão do trabalho social:
Todos entram na escola...muitos adquirem diploma..mas, apenas poucos são médicos, engenheiros, advogados..
Muitos não irão passar da 8a série, porque realmente não dominam conteúdos ....(até porque falamos de um conteúdo cartesiano)...esses, provavelmente irão para o trabalho em lavoura...ou serão garis..
Outros..farão até faculdades particulares..mas, não serão mais empregados de escritórios, técnicos ou policiais..
Outros estudam em sofisticados colégios particulares e sem dificuldades entraram em faculdades de peso como a Paulista de Medicina ..Serão médicos..e terão altos salários..se mantendo sem problemas na própria classe social formadora..
Salários?
Muito para médicos , pouco para bóias frias..
Qual a importância das funções?
Todas são importantes dentro de uma sociedade. Se o lixo se proliferar nas ruas...as pessoas adoecerão..
Por que exatamente um lixeiro tem que ganhar pouco???
Um PM que protege as ruas e garante a cidadania deve morar numa favela????
O que dificulta o processo social no Brasil é a caduca tentativa de se manter o que já não funciona, uma divisão social de trabalho injusta..que acaba criando o desprestígio das demais funções. Acaba criando vergonha e humilhação nos trabalhos que não foram classificados num alto status..
Por que alguém iria preferir ser empregada doméstica..nesse quadro se pode ter lucros na informalidade?? E por que uma empregada doméstica, que mantém a casa de alguém em ordem, ganha tão mal????????
Defendo que as pessoas devam ter salários conforme sua competência e aptidão, mas não na forma de divisão social, onde as chances são nulas para quem não tem condições de cursar um Anglo.
Todas as profissões e os respectivos trabalho precisam ser valorizados, independente de escolaridade.
Emile Durkheim dizia que o Estado deveria ser comparado à harmonia de um corpo.
Já percebeu a perfeição do corpo?
Se vc estiver caminhando e pisar num prego. Qual a atitude do corpo?
Ao acaso a outra perna irá pronunciar "ainda bem que não foi comigo?", os braços se cruzarão e dirão: "Nada tenho com isso"?. Os olhos mirarão as montanhas e dirão: "Somos superiores"?? .
Não!!!
Se vc pisar num prego, a dor é igual para todos os orgãos, os olhos procurarão o objeto, sua coluna se inclinará e seus dedos o arrancarão. Se assim não for, tudo se prolongará até a morte do corpo. Tudo funciona em conjunto, embora haja um chefe no corpo, ninguém é mais bajulado ou recebe mais pelo que faz. Todos são úteis.
A diferença brutal entre pessoas, começa educação seletiva, depois pela divisão de trabalho e pela manutenção não de competência mas de status...Origina-se o desconforto, o tédio e o crime.
Não existem chances iguais. O que seria da agricultura brasileira se todos pudessem estudar no Rio Branco , colégio paulista?????? Quem iria conduzir os ônibus lotados se todos pudessem ter acesso à redes de ensino de valor?
Na verdade, no Brasil ainda existe a relação feudal, mantida por trabalhadores servis. Produz-se operários e não se dá chances justas de seleção.

3 comentários:

Fernando Henrique Dias disse...

Querida Célia, parabéns pelo blog, é muito bem formulado e traz ao público informações importantes na formaçao de qualquer pessoa. Esse texto traz discussões interessantes sobre a questão do trabalho no Brasil, concordo com muito do que vc disse nele, é bom lembrar também que no Brasil o nosso modelo de colonização criou uma sociedade que repudia o trabalho braçal, tratando esse tipo de trabalho como indigno e vc sabe que as raízes dessa mentalidade são profundas. Espero que seus alunos acompanhem constantemente as reflexões que vc proporciona nesse blog. Eu acompanho. Um abraço.

Profa. Célia Schultz disse...

Obrigada pelo seu valoroso comentãrio Fernando....
Realmente...desde os gregos antigos..Ócio é status..trabalho manual é bruto e legado de quem não teve origem ou genialidade...
Por favor..venha sempre aqui!!

Anônimo disse...

Amiable post and this post helped me alot in my college assignement. Gratefulness you as your information.