domingo, 18 de novembro de 2007

Heráclito e Parmênides - Nós "somos" ou deixamos de "ser"?


Essa conversa não é nova, até porque o que há de novo no pensamento? o que ainda não foi dito? Mas mesmo assim precisamos sempre exercitar nosso intelecto pois ele é como um músculo, precisa ser metodicamente trabalhado. Agora vamos viajar na história do pensamento: Citarei a Grécia pois não tenho ainda conhecimentos suficientes sobre o pensamento da China ou Egito.. Assim, na antiga Grécia existiram os chamados "Pré-Socráticos", nome dado aos pensadores que vieram antes de Sócrates. Estes, foram chamados de Filósofos da Natureza pois procuravam por uma substância única que poderia ter originado todas as coisas existentes na terra. Dois filósofos se destacam: - Parmênides de Eléia (530-460 a.C.) : Procurando por explicações lógicas e ordenadas, distinguindo-se da mística, procura ordenar o "Ser" do "não-Ser". Parece uma atividade simplista? Pois é...mas essa aparência é enganosa. Mas, existem opostos? algo pode ser ou não ser...ou, é possível que algo se transforme em seu próprio oposto.. Diante dessa dúvida ele chega à conclusão do Princípio da Identidade. Faz a negação do que os "sentidos mentirosos" lhe mostravam, assim: o Ser é Uno, um único grande Ser eterno que jamais se altera e a qual tudo, Seres e Não -Seres, são apenas ilusões de si mesmo. O ser é eterno, único, imóvel e ilimitado. Porém, o Imóvel e Ilimitado é Deus.
A mudança para ele era algo superficial que não afetaria a essência de qualquer objeto..
Imagine-se assim: Você muda totalmente suas roupas, muda de casa, de hábitos..mas, se torna mesmo outra pessoa?

-
Heráclito de Éfeso (540-476 a.C.):

Não obstante
, Heráclito....já pensava diferente...

Para ele...nada poderia ser igual ..pois tudo estaria em movimento permanente...A vida seria um movimento com fluxo perpétuo...Você é a mesma pessoa de 10 min atrás? Quantas coisas não acontecem em 10 min?
"Não se entra no mesmo rio duas vezes".
A lei fundamental do Universo é o "devir", que significa contínuas transformações. Tudo flui e nada fica como é. Não temos e não somos também estáveis.
" Tudo segue seu curso. Para Heráclito o princípio das coisas é o fogo. O fogo transforma-se em água, sendo que uma metade retorna ao céu como vapor e a outra metade transforma-se em terra. Sucessivamente, a terra transforma-se em água e a água, em fogo." (1) A palavra "devir" na filosofia tem o seguinte sentido : Transformação..o que supera o termo "mudança"..pois "trans-formar" é estar sempre superando etapas anteriores..
Para Heráclito o devir explica a realidade...
Ele nos proporciona uma "dialética" , a contradição...a oposição..
Para deixar mais claro, Dialética significa: Dialética, "di" de diálogo...Num "diálogo" não existem mais de uma pessoa argumentando? A Dialética pressupõe além de um diálogo, a contradição das coisas...a diferença por vzs radical entre tudo que existe na natureza...(2)

E por fim...podemos concluir se somos, fomos ou seremos diferentes? Ou se sempre fomos nós mesmos...assim como tudo que nos rodeia?
Confusão não?
Tudo pode ser simples assim: "Nós sempre fomos os mesmos" pois nosso Eu ao que parece, segundo Freud se formou na infância, recebeu projeções até de nossos avós..ou segundo geneticistas modernos, nós já tínhamos personalidade... de um DNA transportado..antes de se formar o embrião...
Não importa o que façamos...temos um interior já "moldado"..ou seja, temos uma essência..Todavia, essa essência não se transforma?.
Esse é o paradoxo de nosso século...
Hoje sabemos que existem Reflexos condicionados propostos pela Mídia ou pelo Marketing..que cultura e meio ambiente (que estão sempre em transformação) alteram uma pessoa...alteram qualquer coisa...Tudo na terra é fluxo..é contradição...e parece que é isso que nos leva à evolução...
Foi a passagem pelas guerras que nos fazem pedir a Paz...foram erros cometidos que nos forçam a acertar...Parecem que os problemas nos forçam a evoluir ..e a superar a nós mesmos...
Existem pessoas adeptas ao reduto da rotina e tem limitações quanto ao que é novo. Porém, a rotina é uma ilusão psicológica...passa uma idéia de normalidade pseudo eterna que não existe e a prova é a finitude física de todos nós, ou seja, a morte.

Bem, espero que vcs não tenham se confundido tanto..a ideia é só fazê-los refletir com argumentação significativa...do contrário..a filosofia por mais célebre, tornar-se fútil...

(1) http://www.filosofiavirtual.pro.br/presocraticos.htm
(2) http://www.perfeitauniao.org/oficina/2001/dialetica.htm

Links Indicados:
http://www.coladaweb.com/filosofia/heraclito.htm
http://br.youtube.com/watch?v=z5h0u-EIB0I

Um comentário:

Oswaldo Sonego disse...

Parmênides nos ensinou o eterno Ser e Heráclito o eterno Vir-a-Ser. Isto tem uma significância fundamental para o hosso entendimento! O eterno Ser, é aquilo que realmente existe, pois nos mostra aquilo que acreditamos de fato, ou seja, a sua crença e convicção. Se acreditarmos que somos pessoa de valor, que somos honestos e vencedores, não nos atemos as situações momentâneas e enfreanta todas as dificuldades, faz projetos, planos e trabalha com a firmeconvicção.Sou vencedor, apesar das aparentes situações. Aquele que acredita no vir-a-ser, está sempre jogando para o futuro a sua melhera e não se conscientiza da sua força interior, e diz assim: Vou melhorar, ainda conseguirei sucesso, tudo vai dar certo, e não faz nada de concreto para realizar seus sonhos. Sempre tem alguém que lhe atrapalha, não se esforça com alegria e determinação e não se conscientiza que só existe o agora, pois o passado já se foi e o futuro é so o agora, pois só existe o presente! Se vai parar de fumar, de algum outro vício o momento é agora e só o agora é o real!!!