sexta-feira, 18 de janeiro de 2008

Tudo uma questão de sobrevivência?

Há quem diga que somos guiados pelas convenções sócio-culturais que vieram antes de nossos avós. Outros mantém a idéia do livre arbítrio, afirmando que nossa espécie tem consciência de seus caminhos como de suas implicações, assim pode escolher seu futuro....

No entanto, parece que a ciência, em cada especulação, prova que somos predeterminados desde o surgimento do planeta...

Imagine, tudo que você gosta: religião, música, pais, filhos..Se o cérebro tivesse alguma lesão ou mudanças químicas provavelmente seu humor e seus desejos mudariam...

Agora mais complexo ainda é imaginar que existe algo bem mais minúsculo que um neurônio capaz de dominar sua vida.

Segundo o autor Richard Dawkins em seu livro "O gene egoísta", somos apenas complexos manipulados para a sobrevivência dos genes que sobrevivem, inclusive, após nossa morte..

De qualquer forma nossa espécie ao menos descobriu quem está na "chefia", não é mesmo?


Abaixo alguns recortes da obra: Se não puder lê-la na íntegra....pense sobre os argumentos abaixo e analise:

"Somos máquinas de sobrevivência – veículos robô programados cegamente para preservar as moléculas egoístas conhecidas como genes"

"Assim como "gangsters" de Chicago, nossos genes sobreviveram, em alguns casos por milhões de anos, em um mundo altamente competitivo. Isto nos permite esperar certas qualidades em nossos genes. Sustentarei que uma qualidade predominante a ser esperada em um gene bem sucedido é o egoísmo implacável."

"A combinação de genes que constitui um indivíduo qualquer poderá ser efêmera, mas os genes em si são, potencialmente, muito duradouros. Seus destinos constantemente se cruzam e recruzam ao longo das gerações."

"Os indivíduos não são estáveis, são passageiros. Os cromossomos também caem no esquecimento pelo baralhamento, como as cartas de um jogador logo depois de serem carteadas. Mas, as cartas em si sobrevivem ao baralhamento. Elas são os genes. Estes não são destruídos pela recombinação, simplesmente trocam de parceiros e continuam em frente. Evidentemente continuam, esta é sua profissão. Eles são os replicadores e nós suas máquinas de sobrevivência. Quando cumprimos nossa missão somos postos de lado. Mas os genes são habitantes do tempo geológico: são para sempre. "

"A previsão em um mundo complexo é uma coisa arriscada. Toda decisão que uma máquina de sobrevivência toma é uma jogada arriscada e constitui uma tarefa dos genes programar os cérebros de antemão de modo que em média eles tornem decisões que compensem. A moeda corrente utilizada no cassino da evolução é a sobrevivência, mais exatamente a sobrevivência do gene, mas a sobrevivência do indivíduo é, para muitos propósitos, uma aproximação razoável."

"..as primeiras prioridades óbvias de uma máquina de sobrevivência e do cérebro que toma as decisões por ela, são a sobrevivência individual e a reprodução."

quarta-feira, 9 de janeiro de 2008

Bioética: Natureza versus tecnologia...

James Byron foi diagnosticado, após intensa luta médica dos pais, com Síndrome de Barth, doença que se caracteriza por diversas infecções e enfraquecimento do músculo cardíaco, aos 10 anos de idade.
Seu irmão William, portador da mesma doença, que não diagnosticada à tempo, por ser rara, faleceu aos 4 anos.
A doença é conjênita, afeta e mata crianças até os 8 ou 10 anos de vida.
Karl Barth foi o médico suiço que descobriu a doença e seu gen atuante no final do sec. XX.
James agora tem 18 anos necessita de 11 remédios diferentes, incluindo alopáticos para o fortalecimento do músculo cardíaco, não pode praticar esportes, também precisa seguir rígidas dietas alimentares. Todavia, é um garoto que se diz feliz e já se habitou à essa rotina..
Com o diagnóstico de doenças raras, como essa síndrome, é possível se esticar o tempo de vida..equiparando-se ao de uma pessoa sem problemas significativos de saúde, afinal trânsito e guerras civis tem matado mais gente segundo algumas estatísticas.
Mas a questão é:
Como ficaria a situação de descendentes de pais portadores não apenas dessa síndrome como de demais doenças hereditárias?
Há 20 anos atrás a Síndrome de Barth tinha pouco mais de 100 casos no mundo...e atualmente essa soma já foi ultrapassada. Os portadores do gene, passam a herança genética para os descendentes. O gene, no caso de Barth, o Cromossoma X, também é retransmitido.
A questão torna-se polemica em alguns paises do mundo, na medida em que doenças genéticas, antes raras, começam a se tornar comuns ..
Por outro lado na visão futurista do filme "Gataca"de Andrew Niccol (1997) , onde os genes podem ser previamente escolhido pelos pais antes da concepção, todos os seres nasceriam "saudáveis", também é um método questionado pelas Igrejas visto que torna possível ao humano o manuseio de vida e morte de seus iguais...
No filme "Gataca" as pessoas são "perfeitas" mas agem de forma robótica, pouco tem à aspirar....
Ao que parece a engenharia genética se desenvolve muito mais rápido do que a ética espiritual...talvez seja o dilema do sec. XXI.

sexta-feira, 4 de janeiro de 2008

Consciência de deveres


Em alguns momentos...escutamos várias reclamações..e em todas elas...sempre existe um culpado que não somos nós...
Reclamamos da corrupção...Da politicagem...dos Partidos, do prefeito, do presidente...
Reclamamos de um Brasil que desde a Monarquia não melhora...mas, antes era bom?
Esperamos...
Esperamos pelo prefeito que dê casas, hospitais...por presidentes que milagrosamente nos coloque no 1o mundo...
Com muito custo..votamos...seria essa nossa única obrigação?
Confortáveis, assistimos, reclamando indignados, pela TV a situação do Brasil...e nem questionamos a Tv, ou seja, a fonte informante...tal nossa confiança NOS OUTROS ...
Idealizamos e esperamos...milagres que não existem...que o pseudo se torne verdadeiro...
Bem, isso tudo se chama paternalismo...que é o ato de se achar protegido , mas, sempre abaixo de alguém...
Nessa segmentação ...pedimos vários direitos... que quase nunca nos vem ...
Porém...será que alguém acredita ser errado:
- Jogar seu próprio lixo na calçada?
- Estar dirigindo e arremessar pela janela uma lata de refrigerante?
- Abrir o portão de sua casa, no horário em que sabe que seu cachorrinho Totó necessita fazer caca? e deixa-lo fazer na calçada de seu vizinho?
- Arrumar atestado médico falso ou fingir-se doente para faltar ao trabalho?
- Nunca ir numa sessão da Câmara Municipal para ao menos saber o que está sendo votado?
- Não se manter informado sobre o progresso de seu vereador ou deputado..e caso esteja descontente..tentar comunica-lo sobre isso?
- Ter uma necessidade individual e não se enxergar como parte do meio social, da sociedade em que vive?
- Dizer no final "É assim mesmo"?
- "Não gosto de política"?
- "Nem me lembro em quem votei"?
- Ver crianças pedindo em semáforos e dizer "Não posso fazer nada" ?

Nada muda no Brasil..porque estão todos no plano individual..sem nem querer entender sobre "Vontade geral" (como diria Rousseau) e o coletivo...
Cada um faz seu pequeno rombo nesse Titanic chamado Brasil..
Do desejo geral..pode surgir o principal que é a Representação popular através da Organização...
Uma nação não precisa de "um" e sim de "todos"..

http://www.youtube.com/watch?v=ZPmtAwn5Vno