domingo, 18 de maio de 2008

A escola para o filósofo Platão

Observe esse texto:

"
Partindo do princípio de que as pessoas são diferentes e por isso devem ocupar lugares e funções diversas na sociedade, Platão imagina que o Estado, e não a família, deveria se incumbir da educação das crianças. Para isso, propõe estabelecer-se uma forma de comunismo em que é eliminada a propriedade e a família, a fim de evitar a cobiça e os interesses decorrentes dos laços afetivos, além da degenerescência das ligações inadequadas.
0 Estado orientaria as formas de eugenia para evitar casamentos entre desiguais, oferecendo melhores condições de reprodução e, ao mesmo tempo, criando creches para a educação coletiva das crianças.
A educação promovida pelo Estado deveria, segundo Platão, ser igual para todos até os 20 anos, quando dar-se-ia o primeiro corte identificando as pessoas que, por possuírem "alma de bronze", têm a sensibilidade grosseira e por isto devem se dedicar à agricultura, ao artesanato e ao comércio. Estes cuidariam da subsistência da cidade.
Os outros continuariam os estudos por mais dez anos, até o segundo corte. Aqueles que tivessem a "alma de prata" e a virtude da coragem essencial aos guerreiros constituiriam a guarda do Estado, os soldados que cuidariam da defesa .da cidade.
Os mais notáveis, que sobrariam desses cortes, por terem a "alma de ouro", seriam instruídos na arte de dialogar. Estudariam filosofia, que eleva a alma até o conhecimento mais puro e é a fonte de toda a verdade.
Aos cinqüenta anos, aqueles que passassem com sucesso pela série de provas estariam aptos a ser admitidos no corpo supremo dos magistrados. Caberia a eles o governo da cidade, o exercício do poder, pois apenas eles teriam a ciência da política. Sua função seria manter a cidade coesa. Por serem os mais sábios, também seriam os mais justos, uma vez que justo é aquele que co-nhece a justiça. A justiça constitui a principal virtude, a própria condição das outras virtudes." http://www.faced.ufba.br/~dept02/alunos/platao/PAGINA6.htm

Aproveitando a abordagem de Platão (428 ac), percebemos que sua teoria ainda está em vigor. Baseia-se nas diferenças naturais ou construídas dentro de uma sociedade. Nesse tocante, parece que a Escola exerce o sagrado ou profano papel de evidenciar ainda mais diferenças ou também de "melhorar" aquele que já tem digamos o embrião da intelectualidade.
Em nossa sociedade, estudamos 8 anos no Ensino Fundamental, 4 anos no Ensino Médio e mais 4 anos (provavelmente) no Ensino Superior. Assim, ficamos pelo menos 16 anos, sem contar pré-escolas ou pós-graduações.
Antigamente se dizia: "Se não vai para escola, irá puxar carroça". A frase é popular e tem muito sentido pois parece que se caracteriza para trabalhos braçais aqueles que não tiveram "aptidão" para o desenvolvimento de capacidades intelectuais.
Todavia, sabemos que o cérebro se desenvolve com estímulos desde a primeira infância. Isso nem sempre é algo simples, pois depende do meio ambiente onde está a criança assim como dos adultos que a rodeiam.Se o meio ambiente não lhe é positivo, isto é, estimulante, essa criança pode ter pouco desenvolvimento de saberes intelectuais.
O que temos acompanhado no Brasil é que geralmente é sempre a mesma elite que chega nas melhores Universidades, a mesma classe média que chega às Universidades Particulares e muitos dos que são carentes evadem da escola antes do término da oitava série.
Agora já imaginou se todos tivessem a chance de se doutorar? quem iria trabalhar nas indústrias ou em serviços braçais?
Veja o poema de Berthold Brecht : "Perguntas de um operário letrado"
http://www.youtube.com/watch?v=IDvs9hq15B4

E você o que acha disso? Platão estava errado?


2 comentários:

Gisele disse...

No Brasil quem tem boas chances de ter uma vida financeira boa, são apenas aqueles que já vem de uma familia de elite.
Raramente vemos alguém pobre se tornar rico, esses são apenas aqueles que tiveram muitoooo esforço na vida, ou , são aqueles que passaram a perna em todos e como no Brasil a justiça só funciona... é não funciona, eles continuam subindo, roubando e depois de se aposentar, viram politicos!
A escola é um ótimo artificio para quem quer alguma coisa, já que apenas aquele que tem conhecimento sabe como funciona esse jogo.
Talvez o problema esteja no que chamamos de viver bem.
Viver bem não é apenas ter dinheiro, é se deleitar de coisas simples que te fazem sentir coisas que nunca pensou sentir
É o que eu sempre digo, nada vai mudar enquanto o dinheiro for a fonte dos nossos maiores sonhos.

Jessica Regina disse...

A Republica idealizada por Platão tem como substrato a conjetura do que vem a ser "justiça". Por isso é quase que plenamente utópica e absolutamente incabível em qualquer que seja a sociedade. É válido lembrar que a ideia de comunismo subsiste apenas na teorética. Indubitavelmente este seria a melhor de preservar o caráter cíclico das oportunidades, uma vez que, todos teriam a mesma porcentagem de chances. O meu amiguinho Platão é um gênio!!!