sexta-feira, 24 de abril de 2009

É de ouro?

Observando a sociedade, quem tem acesso ao conhecimento? Digo conhecimento e não apenas informação, já que o conhecer personifica o que fazer diante da mesma.
Os caminhos do "conhecer" englobam:
1. Estímulos e ambiente propício desde o berço
2. Domínio em mais de um idioma: No mínimo inglês, porém, o correto seria noções avançadas em alemão, russo e latim..
3. Livros, revistas especializadas, variando faixa etária.
4. Viagens: Não é possível ter limitações geográficas
5. TVs à cabo, internet.
Enfim, conhecimento não é apenas letramento, ou se saber ler e escrever ou mesmo estar em bons colégios. Isso é só o início.
Se analisar o conhecimento não é para todos e não é nada democrático. Quem eram os filósofos da antiguidade? Nobres e Aristocratas. Quem são os conhecedores hoje? Pessoas cujo poder aquisitivo é o suficiente para que a preocupação central da casa seja a Cultura e nela coloquem partes substanciais de seus recursos sem sentir a mínima falta. Pessoas que não precisam trabalhar oito horas por dia, ao contrário, podem ficar dias sem trabalhar para viajar ou contemplar um curso de boa qualidade. Pessoas que podem aprender latim e ler cópias de parirus da antiguidade no Vaticano.
Sim, o conhecimento é de ouro, não é para todos e é a verdadeira libertação. Quanto mais se conhece mais se torna liberto. "A verdade o libertará". Sua importância real não é divulgada nem estimulada e alguns caminhos para se chegar até ele parece que foram feitos em dunas..Quando falta conhecimento sobre futilidade.
Conhecimento é algo caro, de luxo, que emana recursos próprios, sendo portanto muito mais do que pensam alguns, uma questão de boa vontade.

terça-feira, 21 de abril de 2009

"Comunistas" e "consumistas"

Acreditando ser importante observar o que penso sobre os termos "Comunistas" e "Consumistas", faço então a continuação da postagem anterior.

- Quando eu evidenciei o termo "comunistas" no texto anterior, era para ilustrar uma situação que ocorreu no Brasil durante os períodos de Vargas e da Ditadura militar até 1984, onde havia a idéia de que a ideologia comunista representava um perigo maior à nação. Nesse momento de Guerra Fria, onde havia as posições opostas de esquerda e direita, o partidários dessa idéia de Karl Marx aqui eram considerados pela imprensa nacionalista oficial como "terroristas" ou ameaça à liberdade. Não sei exatamente a identidade dos comunistas brasileiros até porque não vivi nesse período, porém sei que eram pessoas letradas, pessoas com acesso à informações, pessoas cuja formação engloba bons colégios, portanto, eram pertencentes à classe média. Também sei que quando existe guerra, mesmo ideológica, excessos são cometidos pelos dois lados, mesmo que um lado perca e mostre a face das monstruosidades que sofreu..Nesse parâmetro, a violência do lado oposto é citada por ambas as partes e por sua vez, o outro lado se defende dizendo que existia uma causa necessária.
Hoje o mundo evoluiu e voltamos ao pluripartidarismo, embora a idéia de política parece perder poder junto às camadas populares..É nesse momento que entra o "consumismo".
- O Consumismo não tem mais o sentido atribuído em décadas passadas de ser apenas um servo maior do capitalismo selvagem. O consumismo agora significa também estar no cerne da tecnologia, de uma provável evolução. Porém, com certeza, o consumidor em demasia, ainda preserva os resquícios de não precisar contemplar outras áreas de seu Ser como o "Ethos", ou, a felicidade coletiva..Nesse ponto, a violência é justificada para alguns, como a necessidade de se Ter algo..E isso alcança todas as camadas sociais e para alguns o conhecimento tal qual o conhecemos seria supérfluo.
Assim, a distinção dos termos.
Acredito que a raiz da violência seja o homem que não conseguiu ainda evoluir espiritualmente, que ainda se mantém materialista. No entanto, em cada momento da história existem formas de justificações.

sábado, 18 de abril de 2009

Os PCs e a Educação..


Aproveitando-me de uma interessante conversa com um amigo sociólogo, deixo o pensamento aqui.

Nesse momento, as escolas de SP estão sendo equipadas com novas tecnologias até para que se desperte novas habilidades. Computadores, peças cujos recursos se propõem a ajudar no progresso do homus habilis, se instalam nas repartições públicas. No entanto, um problema básico, as salas de informáticas passam a ser trancadas como cofre e mesmo assim, alguns computadores são roubados ignobilmente, já que seu fim também era o de melhorar a situação social daqueles que nem acesso a escola tinham..Informá-los, fazê-los conhecer, o que era antes apenas privilégio de uma minoria. Todos sabem, desde a antiguidade, conhecimento sempre foi artigo de luxo.

Mas, por que tal fenômeno ocorre??

Bem, provavelmente a tentativa da União em conjunto com os Estados, seja a idéia de fortalecer e apoiar a Educação para que ela transforme a realidade nacional. Entretanto, ela é um galho de uma árvore e não o tronco que mantém a vida da seiva. Dizem que ela é o galho mais importante. Talvez seja.

Antes o que denominavam violência, vinha de uma classe média intelectualizada, chamada de “comunista”. Esses cidadãos foram conhecidos como o “perigo vermelho”. Não obstante, uma camada popular, bem mais pobre, ignorada desde o império, cresceu e se organizou melhor do que qualquer base política oficial..Hoje não existe mais o “perigo vermelho” e a própria classe média anda sendo questionada sobre sua existência mas existe uma prole que já se acostumou a estar de fora das escolas e, pior, a saber que não precisa estar dentro dela para sobreviver e ter tanto lucro como outros..O problema do Brasil é a soma de problemas que vêm desde o império português e que sempre foi remendado com paliativos..

Por outro lado, como filha direta do capitalismo industrial, a propaganda se desenvolve e condiciona muitos ao consumismo. São tantas coisas: celulares, tênis, PCs..Veja vamos trocar os termos históricos: "comunismo" e "consumismo", parece ironia, né? É importante andar de carro novo e que se dane quem esta dentro dele ou como conseguiu o carro novo?

O consumo faz seu ninho em nosso Ser num período onde proletários se agruparam..A Ética não vem da escola, deve ser desenvolvida por ela, mas vem da casa, da religião, da comunidade local..que por sua vez está perdida em seus caminhos..

Estamos vivendo um estado de miséria, superior aos períodos pós guerras. Nele não faltam recursos mas faltam direções e pior, motivos concretos para se continuar vivendo. A futilidade reina e é só perceber o número de pessoas que viajam pelos modismos, perdendo sua essência..

Todavia, penso que o aparato tecnológico que as escolas vem recebendo assim como o reforço da idéia de Cidadania tal qual rege a LDB dará frutos, só que não será imediato. Assim, como essa onda de violência urbana levou séculos para se desenvolver e se criar, os efeitos de uma nova consciência cuja educação é uma das protagonistas, também darão resultados. Já viu ação sem reação? Efeitos virão e provavelmente nos ajudarão numa sociedade melhor. Provavelmente nossos netos irão viver essa cidadania plantada hoje, o que é bom também. As consciências levam tempo para serem trabalhadas e desenvolvidas, elas precisam de comprovações de que o caminho oferecido é realmente o mais eficiente..
Eu acredito que tudo isso dará bons efeitos, porém não a curto prazo..

No momento, estamos enfrentando erros antigos, a síntese de problemas sociais como a indiferença. Agora estamos criando uma nova tese que provavelmente irá passar pela antítese e sobreviver..

Na Noruega, Centros de Conveniências ficam abertos, sem ninguém olhando, com caixas automáticos, sem que ninguém roube nada. Eles preferem pagar e mostrar que são uma sociedade responsável e fraterna. Isso que precisamos importar, a idéia de que podemos nos respeitar.



Peço para que tb vejam o BLOG:

http://portaldasociologia.blogspot.com/

domingo, 12 de abril de 2009

"Ser é ser percebido" - Racionalismo ou Empirismo??

Bem, segundo o Empirismo que é um movimento que acredita que as experiências são as principais formadoras de idéias, só é possível crer naquilo que experimentamos por alguma necessidade com os sentidos..
No sec XVII, Locke demonstrou que a mente seria, originalmente, uma tábula rasa. Nela é gravado o conhecimento verdadeiro e isso só ocorre devido à sensação.
Para Hobbes, também filósofo empírico da Idade Moderna , só era possível atingir a verdade através de raciocínios corretos, fundamentados pelas sensações.
O Empirismo tornou-se uma das bases da Ciência moderna, principalmente no tocante à experimentação. Afinal, para que uma teoria científica seja considerada válida, é preciso que ela seja experimentada, testada. Assim acontece por ex. com remédios, cosméticos, automóveis e objetos de uso geral..
Têm experimentos que duram anos. Até a Psicologia faz experimentos. Já ouviram falar de "Reflexos Condicionados" que iniciaram com Pavlov no início do sec. XX?
Mas o Empirismo se opõe radicalmente ao Racionalismo, já que este último se baseia no princípio das idéias inatas, ou seja, a doutrina da Razão acreditava que já nascemos com conhecimentos e capacidades naturais de conhecimento. Nosso raciocínio tem todas as habilidades para chegar sozinho a verdade. Já os sentidos, esses são nossas fontes de erro.

Agora vamos analisar..
Se as duas correntes (Empirismo e Racionalismo) se opõe, qual seria mais coerente??
Essa resposta virá da Alemanha, de um filósofo chamado Emmanuel Kant...