quinta-feira, 13 de agosto de 2009

A moral em Kant

A maioria das pessoas já teve chamado "peso de consciência". Talvez o filósofo alemão Emannuel Kant (1724/1804) possa responder o motivo:
"A razão prática" para Kant é similar à Ética.
Ele denota o conceito de "dever" nas regras morais que só podem consistir na própria forma da lei. "Age sempre de tal maneira que a máxima de tua ação possa ser erigida em regra universal" (primeira regra)..Aliás, ele coloca o Imperativo Categórico: "Cumpre teu dever incondicionalmente". Na segunda regra, o filósofo ressalta que o princípio do dever, não implica em nenhuma "alienação", o que é melhor exposto na terceira regra kantiana. Para se unirem numa justa reciprocidade de direitos e obrigações, os homens só têm que obedecer às exigências de sua própria razão: "Age como se fosses ao mesmo tempo legislador e súdito na república das vontades" (terceira regra) ..
Agora, preste atenção no termo "respeito" na obra do filósofo: Ele é anterior à própria lei..
Percebemos em Kant, que a moral está ligada à consciência e por sua vez, à razão..
O filósofo considera a natureza instintiva humana, por isso determina a necessidade de submissão ao dever, o que não é fácil para o homem, mas, é seu esforço para tanto é necessário para a harmonia social. Em outras palavras, estamos diante da "obrigação moral". Ser "moralmente obrigado" é ter o poder de responder "sim" ou "não" à regra moral, é ter a liberdade de escolher entre o bem e o mal e diante do poder da escolha, nossa responsabilidade aumenta..

Para ler mais, sugiro que vejam o site: http://www.mundodosfilosofos.com.br/kant2.htm

Nenhum comentário: