quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Obrigada mestre Maurício, Gabriel De La Puente

Eu estava sentada em 1985, numa carteira rabiscada e desconfortável, numa escola de Ensino Médio do noturno, e me perguntava: "Por que tenho que estar aqui, já reprovei três vezes, vou reprovar novamente? Odeio escola, acho que irei parar, da mesma forma que meus outros amigos, contemporâneos, fizeram. Isso aqui não servirá para nada. Não entendo quase nada e nunca irei usar nada disso aqui na vida". Nesse momento, surgiu um professor, meio estranho, não se parecia um professor. Ele entrou, fez um desenho de um boneco na lousa e pediu para uma aluna molhar um giz..Ela chegou e ele colou o giz no nariz do boneco. 
Ninguém estava entendo nada, os melhores alunos da sala estavam atônitos e ele disse: "Sou eu o panaca que irei dar aula de Filosofia para vocês, é tarde demais para vocês reclamarem"..
Pela primeira vez, eu vi a classe toda democraticamente rindo. Nesse momento pensei: "Que matéria é essa que faz a gente rir?". Iniciou-se em mim, um interesse pela Filosofia. 
Conheci os ideais existenciais e libertários. Conheci Sartre e Heidegger . Diante disso, questionei a ditadura que vivíamos na década de 80, entendi porque a 1a República caiu. Apaixonei-me pela Literatura e enfim, compreendi "O alienista" de Machado de Assis, assim como Urupês de Monteiro Lobato. Minhas notas subiram e não mais reprovei. A educação começou a fazer sentido na minha vida. Acabei o EM e resolvi fazer Filosofia na Puccamp, depois História, Pedagogia, Psicologia da Educação, especializações e não acabei ainda. 
Conheci outros ilustres, mas foi o professor de Filosofia, Maurício, que mudou minha direção, apenas com um toque sutil da dúvida real, "- Por que essa disciplina está nos fazendo rir?"...Bem, uma aula diferente pode tornar as pessoas diferentes e entenderem que são singulares ...Pode mudar o rumo das coisas..
Agradeço a esse mestre..(tentei seguir seu exemplo).

10 comentários:

Vera Gimenez disse...

Mto boa a narrativa e mto feliz essa postagem.
Parabéns pelo inusitado prêmio. FOi merecido.

Anônimo disse...

É, existem pessoas que nos fazem diferença mesmo. Esse blog nos deu um exemplo. Aprendi mto aqui. Parabéns.

José Freitas (freitas455@portugalmail.com)

Anônimo disse...

Aprecio mto esse espaço. Saudações

Monize disse...

Valeu querida professora. Nunca esqueci suas aulas também.

Anônimo disse...

Me gustó mucho lo que escribes en tu blog. La filosofía es un arte

Anônimo disse...

Adorei a mensagem professora. Feliz 2012

Anônimo disse...

Felicitaciones de Madri

Sandrer disse...

Congratulations from Canada

Cesar Carvalho disse...

Prezada Célia, este professor a quem você se refere, Maurício, o Gabriel de la Puente é meu amigo e eu estou à sua procura para desenvolver um projeto literário. Por acaso você teria alguma informação a mais sobre ele? Ajudaria muito se tivesse pelo menos uma pista. Agradeço se puder me informar.

Célia Schultz disse...

Oi...tb quero localiza-lo mas não sei como..